Arquivo da categoria: Midia e entretenimento

Documentário busca casais LGBT para falar sobre direitos. Você pode participar

Com sede em São Paulo, a Associação GLS Casarão Brasil está produzindo um documentário sobre os direitos de pessoas LGBT e quer fazer da maneira mais participativa, por isso está convidando pessoas interessadas em fazer parte do vídeo. Quem quiser participar pode encontrar mais informações no site do Casarão, o www.casaraobrasil.org.br.
O foco do documentário são casais LGBT que estão constituindo família, com união estável, buscando adoção (ou fertilização), dupla paternidade ou maternidade, adoções ou já possuam filho de um dos indivíduos do casal. Também que estejam querendo adicionar parceiros como dependentes em planos de saúde, seguro de vida ou que já tenham conseguido.
O e-mail para contato é o contato@casaraobrasil.org.br.

 

Anúncios

Campanha pelo casamento gay reúne Caetano, Chico, Cauã e Ney Matogrosso

Está no ar desde a última sexta-feira, 23 de março, o renovado site da campanha pelo casamento civil igualitário no Brasil, iniciativa do deputado federal abertamente homossexual Jean Wyllys (PSol-RJ). Inspirada em campanhas internacionais, a brasileira reúne artistas dando seu depoimento a favor da igualdade de direitos civis para casais de mesmo sexo.
Participam da iniciativa brasileira artistas do primeiro escalão da cultura como Caetano Veloso, Ney Matogrosso, Mônica Martelli, Chico Buarque, Cauã Reymond e Sérgio Loroza. Os vídeos gravados por eles serão exibidos pela primeira vez no lançamento oficial da campanha, que será realizado no Rio de Janeiro no dia 12 de abril.
A iniciativa de Jean Wyllys foi criada para apoiar a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) de autoria dele que equipara os direitos civis de casais de mesmo sexo aos de heterossexuais. Vale destacar que não é uma medida sobre casamento religioso, o da igreja e cheio de pompa – é sobre aquele realizado nos cartórios.
Para conferir o texto da PEC de Jean é só clicar aqui.

-mix  brasil

Os 10 mais homofóbicos do Brasil

Veja as últimas matérias envolvendo estes nomes. É só clicar em cima para abrir a matéria.
É importante lembrar que todos eles estão ligados a religiões que deveriam pregar respeito e amor ao próximo, mas disseminam sem pudor o ódio e o preconceito. Está na conta deles a avalanche de crimes motivados por homofobia que se espalha pelo país. Eleições à vista, é tempo de pensar em tudo isso.

Myrian Rios

 

Myrian Rios pede desculpas por relacionar gays e pedófilos Silas Malafaia

– Militantes gays são malandros e oportunistas, dispara Malafaia – Religiosos usam Marcha para Jesus para disseminar preconceito contra homossexuais – Malafaia agradece ativistas gays por processo contra ele – Depois de ter título de cidadão negado pela Câmara de São Luís, pastor Silas Malafaia chama vereador de vagabundo
Jair Bolsonaro
– Bolsonaro vai apresentar projeto para separar sangue gay do hétero nos hospitais – Bolsonaro fala em kit gay 2 e diz que vai criar a campanha “Faça uma Fougueira na sua escola” – Em discurso na Câmara, Jair Bolsonaro diz que Dilma é lésbica – Ensinar diversidade sexual é uma covardia contra a família, diz Bolsonaro

Magno Malta
– Não há homofobia no Brasil, afirma Magno Malta – Senador promete renunciar se lei anti-homofobia for aprovada

Marcelo Crivella – Senadores Crivella e Magno Malta conseguem adiar votação da lei anti-homofobia mais uma vez – Bispo Crivella faz críticas ao PL122 e ao “homossexualismo”

Carlos Apolinário – Vereador de SP quer Dia do Orgulho Hétero – Vereador Carlos Apolinário pede fim dos privilégios aos gays – Carlos Apolinário, o vereador do Dia do Orgulho Hétero, apresenta projeto para criação de banheiro gay
João Campos
– Líder da Frente Evangélica, deputado João Campos questiona número de assassinatos de gays no Brasil e pede investigação – Líder da bancada evangélica quer suspender resolução de psicólogos sobre preconceitos contra homossexuais

Anthony Garotinho
– Anthony Garotinho diz que deputados evangélicos não vão votar mais nada enquanto “kit gay” do Mec não for derrubado – Deputado Anthony Garotinho diz que vai entrar com pedido de anulação da decisão do Supremo sobre união gay e propor plebiscito – Anthony Garotinho faz campanha anti-gays em eventos religiosos
Edir Macedo – Vídeo exibido na TV da Igreja Universal mostra “exorcismo” de jovem gay realizado por Edir e um de seus pastores – Datena diz que não podia falar de crimes contra LGBT na Record

Globo dedica capítulo inteiro de minissérie a personagem trans

A Rede Globo deu uma verdadeira aula sobre transexualidade no capítulo da última terça-feira, 24 de janeiro, de sua minissérie “O Brado Retumbante”, de Euclydes Marinho. O episódio girou quase que completamente em torno da volta ao Brasil do filho do presidente Paulo Ventura (Domingos Montagner), Júlio (Murilo Armacollo), que se tornou Julie após ter sido expulsa de casa pela intolerância do pai.
Julie volta ao Brasil após a cirurgia de redesignação sexual para resolver problemas cotidianos de transexuais como a troca do nome em seus documentos. A Globo mostrou o assunto com total respeito e abriu espaço para que os personagens fossem construindo com seus diálogos uma hora inteira de lições sobre a pessoa transexual. Julie passa pela rejeição do pai, se conforta no carinho da mãe, Antonia (Maria Fernanda Cândido), e chega a ser agredida por um legítimo pit boy.
Ao ser levada para o hospital, com o rosto quase desfigurado, seus pais protagonizam uma das cenas mais sensíveis sobre o tema já exibidas na televisão brasileira. Antes negando a filha, agora Ventura se preocupa e respeita a nova identidade da moça. “Ela vai ficar bem?”, pergunta à esposa. Julie se recupera, consegue mudar seu nome em seus documentos e faz as pazes com o pai, que vai em rede nacional fazer um pronunciamento à nação para pedir desculpas por ter renegado seu filho.
Nem uma possível guerra entre Brasil e Bolívia do Sul por causa de narcotraficantes conseguiu ocupar o espaço dado à questão transexual. Com direito a psicólogo definindo claramente o que é e o que sente uma pessoa transexual, “O Brado Retumbante” abriu mão do humor que sempre vem atrelado aos personagens trans para humanizar Julie mostrando pequenos detalhes da vida de transexuais.
Cenas reais de preconceito e rejeição vividas por eles e elas foram coroadas com um discurso do presidente do Brasil se arrependendo por ter expulso o filho de casa por sua orientação sexual, motivo de críticas por parte da oposição no Congresso Nacional – e de orgulho para quem sonha que um dia esse tema será visto assim.

 

Dráuzio Varela: Homossexualidade é legítima e inevitável

Um dos mais respeitados médicos do Brasil, Dráuzio Varela se manifestou nesta semana contra a opressão vivida por quem não tem a heterossexualidade como orientação sexual. Em artigo publicado em seu blog, ele relembra que a homossexualidade é encontrada em várias outras espécies animais, mas recriminada apenas na humana.

Em um texto que prega o fim da intolerância, Dráuzio diz que “considerar contra a natureza as práticas homossexuais da espécie humana é ignorar todo o conhecimento adquirido pelos etologistas em mais de um século de pesquisas rigorosas”. E continua: “a sexualidade não admite opções, simplesmente é. Podemos controlar nosso comportamento; o desejo, jamais”.

O médico lembra ainda que “mais antiga do que a roda, a homossexualidade é tão legítima e inevitável quanto a heterossexualidade. Reprimi-la é ato de violência que deve ser punido de forma exemplar, como alguns países fazem com o racismo”. O texto na íntegra você lê clicando aqui.

Prefeitura do Rio abre vagas para cursos profissionalizantes direcionados a transgêneros

Estão abertas as inscrições para as interessadas em participar do projeto DAMAS, uma ação da Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual junto com a Secretaria Municipal de Assistência Social, da Prefeitura do Rio.

 

O projeto oferece cursos da capacitação para travestis e transexuais fora da prostituição, que estejam em busca de uma colocação no mercado de trabalho. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas em todos os CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) da cidade.

Neste ano, o projeto foi ampliado e irá oferecer aulas com enfoque no ensino fundamental e no ensino médio, já que parte das transgêneros não concluíram os estudos. Duas turmas de 20 alunas (totalizando 40 inscritas) começam as atividades no dia 17 de janeiro. Uma será no CRAS do Laranjeiras, e outra na OAB de Madureira.

Mais informações pelo fone (21) 2976-5345.

 

Beijo de oficiais lésbicas da Marinha americana marca direitos gays no país

Uma oficial da Marinha americana que voltou à terra firme nesta quarta-feira (21) após 80 dias no mar foi recebida com um beijo que significou um marco na batalha pelos direitos de homossexuais nos Estados Unidos.

Tradicionalmente, os marinheiros fazem um sorteio para escolher um oficial que tem alguém lhe esperando em terra para descer primeiro do navio e ser recebido com um beijo apaixonado. A oficial de 2ª classe Marissa Gaeta foi sorteada ao chegar na base naval de Virginia Beach, na Virginia, e desembarcou para dar um beijo em sua namorada, a também oficial da Marinha Citlalic Snell.

Foi a primeira vez registrada em que o sorteio escolheu um oficial abertamente homossexual. Em junho deste ano, o presidente Barack Obama assinou o fim da lei de 1994 que impedia que soldados abertamente homossexuais servissem às Forças Armadas do país, após receber a aprovação do Pentágono.

MTV prepara edição lésbica do programa Luv

MTV exibirá edição lésbica do programa LUV no dia 14 de dezembro

Depois do sucesso da versão gay do programa LUV MTV _exibido no dia 12 de outubro último_ a emissora aberta mais simpatizante do Brasil anunciou um programa lésbico. A apresentadora Ellen Jabour vai juntar duas meninas no palco do programa. O programa já foi gravado e será exibido no dia 14 de dezembro.

Parabéns  a emissora e viva a diversidade!

Pastor Ricardo Gondim faz nova declaração sobre homossexuais

Perguntado se era favor da união civil entre homossexuais, sua resposta foi contundente: “Sou a favor. O Brasil é um país laico. Minhas convicções de fé não podem influenciar, tampouco atropelar o direito de outros. Temos de respeitar as necessidades e aspirações que surgem a partir de outra realidade social. A comunidade gay aspira por relacionamentos juridicamente estáveis.

A nação tem de considerar essa demanda. E a igreja deve entender que nem todas as relações homossexuais são promíscuas. Tenho minhas posições contra a promiscuidade, que considero ruim para as relações humanas, mas isso não tem uma relação estreita com a homossexualidade ou heterossexualidade”.

Além de muitas críticas de outros pastores por conta desta posição, isso fez com que o pastor Gondim deixasse, após muitos anos, de ser colunista da revista Ultimato.

Dizendo-se o “herege da vez”, na mesma reportagem, Gondim explicou seu desgaste com os demais pastores por conta de suas posições teológicas a respeito de outras declarações suas a respeito da natureza de Deus e a interpretação da Bíblia.

O Brasil vive um clima de “guerra” declarada na luta pelos direitos da comunidade gay e a postura ferrenha dos pastores que veem nisso uma tentativa de destruir a família tradicional. Se por um lado a violência contra os homossexuais tem sido constantemente denunciada de forma acertada e o discurso religioso apontado [para alguns, de maneira equivocada] como um dos causadores, por outro, a tentativa de proibir qualquer expressão de pensamento contrário à prática homossexual é visto como censura.

Há, de fato, um elemento complicador nesse debate. Por isso, ao que nos parece, um consenso está longe de ser alcançado.

SBT exibe beijo lésbico histórico de 40 segundos em Amor e Revolução. Assista!

Nesta quinta-feira(12), o SBT exibiu o prometido beijo lésbico entre as personagens Marcela e Marina na novela Amor e Revolução. Foi o primeiro beijo lésbico da TV brasileira. O beijo estava programado para a quarta, mas a emissora segurou a cena para o dia seguinte, pensando na audiência. A atriz Luciana Vendramini, que vive a advogada Marcela, disse ao R7 que quer protagonizar também a primeira cena de sexo gay da TV aberta brasileira.

Dra. Marcela (Luciana Vendramini) se declarou a Marina (Giselle Tigre) e pediu um beijo. Marina disse que gostava de homens e Marcela disse que ela deveria provar para ter certeza. Apesar da recusa, o beijo acontece e dura 40 segundos!!!

Luciana disse que foi mais fácil do que beijar um homem. “Fico um pouco constrangida quando vou beijar homens em novelas. Desta vez, fiquei super à vontade! Gravamos em três takes apenas. Disse para a Gisele pensar que era como se estivesse beijando o Thiago Lacerda”, contou a atriz para o R7.

As duas personagens ainda discutem sobre a homossexualidade e bissexualidade. Marina diz que o beijo foi bom mas que prefere homens e não quer perder a amizade de Marcela, que concorda em não contar para ninguém sobre o beijo.

 
%d blogueiros gostam disto: