>Profissão: DRAG QUEEN


>

Drag Lohren Beauty com o ex-presidente Lula

O Brasil é um país de cultura diversificada e gigantesca, mas quando se trata de diversidade sexual e travestismo, os brasileiros se tornam até ignorantes em muitos aspectos.

Pouca gente faz idéia do quanto é difícil ser Drag Queen no Brasil, o preconceito é a maior barreira para esse trabalho. Pouca gente sabe também o quanto é uma profissão bonita e honesta.

Pra você ter uma ideia, na Espanha, uma Drag Queen ganha mais de 5 mil dólares por semana, sendo chamadas até para animar festas infantis. No Brasil a maioria trabalha em boates GLBT, ganhando muito menos.

O que significa a palavra Drag Queen :

Vem lá do tempo de Shakespeare e quer dizer DRess As Girl, ( DRAG). No tempo em que as mulheres não podiam representar no teatro, eram os homens que o faziam, por isso quando tinham que interpretar papéis femininos no início dos textos teatrais vinha esta indicação.
D.R.A.G: drass as a girl, ou seja, vestido como uma mulher.

É importante diferenciar drag queens de travestis. Mesmo que sejam categorizados como cross-dresser, transformistas, ou no popular, homens que se vestem de mulher, ambos estão inseridos em meios sociais distintos, uma vez que as drag queens atuam sob um conceito mais flexível de travestismo.

Embora sejam atores transformistas, as drags distinguem-se dos travestis por andarem, em seu cotidiano, vestidos de homens, exercendo também profissões diversas, não afeitas ao transformismo durante o dia. Travestis e transexuais permanecem travestidas em seu cotidiano, e não o fazem de maneira exagerada e caricata. Ou seja , para entretenimento.


Drag queens nem sempre são homossexuais 

Observando as drag queens em casas de shows, tornam-se mais claras as diferenças que distinguem travestis das drag queens, sendo que as performances destas últimas estão relacionadas com as artes cênicas e interpretativas: dublam, dançam e encenam. Além disso, enquanto os travestis permanecem vestidos de mulher em seu cotidiano, as drags não. Percebe-se que estas se situam, com mais facilidade, tanto no universo heterossexual como no homossexual, uma vez que se inserem em espaços sociais e culturais para suas performances artísticas, enquanto que os travestis sofrem com a exclusão social, sendo sua imagem associada à marginalização e prostituição.

As drags “montadas” sempre possuem características femininas, mesmo que sejam consideradas caricaturas de uma imagem feminina. A apropriação que as mesmas fazem destas características é explicitada através de suas montarias e indumentárias, incluindo-se aqui aspectos como a maquiagem, as espumas que contornam os seios e os quadris, além de perucas e outros possíveis artifícios utilizados na composição de seus corpos femininos. Além de uma apropriação física de características desse gênero, as drags expressam também, por intermédio de seus comportamentos, sua identificação com a feminilidade. Quando estão trabalhando, ou simplesmente atuando, demonstram preocupação com a manutenção da imagem de suas personagens, adotando posturas e atitudes que as caracterizem.

“Ah, as pessoas pensam que drag queen vende o corpo, que drag queen é prostituição, porque está vestido de mulher, aquela coisa toda, se prostitui. Eu trabalho há nove, dez anos nessa área e nunca, nunca fiz um programa, tá entendendo? Nem de drag queen, nem no meu estilo comum .”
-Comentário de uma Drag sobre o preconceito.

É de se parabenizar o trabalho das drag queens que vão na boate animar o evento, dançar ou simplesmente dar o seu brilho. Todas são vitoriosas.


Quer entender mais sobre o assunto?

Priscilla – A Rainha do Deserto


 

Elas chegaram e, fabulosas, conquistaram a todos. Este filme australiano incrivelmente criativo, visualmente maravilhoso e incomparavelmente divertido conta a história de três drag queens desbravando a vastidão do deserto australiano. Foi o vencedor do Oscar® 1994 de Melhor Figurino. Com um contrato para realizar um show de drags nos confins do deserto australiano, Bernadette (Stamp), Tick (Weaving) e Adam (Pearce) têm cada um seu motivo pessoal para querer deixar a segurança de Sydney. Batizando seu rodado ônibus de excursão com o nome de “Priscilla”, essas enlouquecidamente divertidas rainhas do drama se dirigem ao deserto… onde suas espetaculares aventuras são ainda mais fantásticas do que os trajes de seu figurino.






Não assistiu ainda?

Assista ONLINE e dublado clicando aqui

Sobre STOP HOMOFOBIA

promovendo a LUTA contra homofobia e à favor dos direitos GLBT

Publicado em 4 de abril de 2011, em Uncategorized. Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. Ue isso e um trabalho como qualquerr outro. E tem que ser bem pago mesmo pois suas montarias ou melhor disendo seus figurinos chegan a ficar muito caro. Entao nao confunda. Bjos

  2. >"Pra você ter uma ideia, na Espanha, uma Drag Queen ganha mais de 5 mil dólares por semana, sendo chamadas até para animar festas infantis. No Brasil a maioria trabalha em boates GLBT, ganhando muito menos.".Porra mas que absurdo, um médico estuda a vida inteira, daí vem um doente se veste de mulher e só por causa disso ganha mais que um medico.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: