Transexuais e Travestis: Qual a diferença?


A modelo transexual brasileira Lea T

Da sigla LGBT o “T” de Transgêneros surgiu para englobar Transexuais e Travestis. Porém muita gente que não tem contato com o meio gay  acaba achando que os dois são a mesma coisa – e não são.

E pra explicar isso, vou me apropriar aqui de algumas definições do Dr. Cláudio Picazio, sexólogo, que conseguiu isolar os quatro pilares da sexualidade humana e explicar como que esses pilares se combinam, formando as mais diferentes variações de gênero, identidades, papéis e orientações sexuais.

Gênero é o seu sexo biológico. É o que o médico vê quando você nasce.
São dois: Homem e Mulher.

Condição ou orientação sexual, tem a ver com desejo, com atração. Quem te atrai fisicamente? Alguém do seu sexo? Alguém do sexo oposto? Tanto faz? São três, respectivamente: Homossexual, Heterossexual e Bissexual.

Papel Sexual tem a ver com comportamento. Você é mais masculino ou mais feminino?  De grosso modo falando…Uma mulher “caminhoneira” está num papel masculino. Um homem que pinta as unhas está num papel feminino. (Esses exemplos na visão da sociedade como maioria)

Note que Papel Sexual não tem nada a ver a com Orientação Sexual – ou seja, um homem afeminado ou uma mulher masculinizada não são necessariamente homossexuais. Assim como um cara todo machinho não é necessariamente hetero. Papéis sexuais são grande fonte de discriminação, uma vez que é exatamente como a sociedade percebe você. E se esse papel não está em acordo com o que se espera do seu Gênero, o povo se escandaliza.

Ou inventa coisas como os metrossexuais, por exemplo, pra poder absorver homens em papéis mais delicados.

Mas o mais complicado dos pilares é o da Identidade Sexual. E é exatamente ele o responsável pelos travestis e transexuais, ainda que de forma diferente. Identidade Sexual é como você se percebe. Alguns chamam de sexo cerebral.
Na sua cabeça, você acha que é o que? Homem ou Mulher? Um menino hetero típico tem gênero masculino, papel masculino, orientação heterossexual e identidade é masculina. Ponto. Mas um “gay” típico, enrustido, tem gênero masculino, papel masculino, orientação homossexual e uma identidade também masculina. Ele não quer ser mulher, ele só curte outros garotos. A única diferença entre um menino gay e um hetero é sua orientação sexual. E o mesmo vale pras meninas hetero e lésbicas e entre todos estes e os bissexuais.

No caso das transexuais, porém, a identidade sexual não está de acordo com o seu sexo biológico. Independente do gênero (podem nascer homens ou mulheres), papel (tem os mais masculinos até os bem efeminados) e orientação (existem transexuais hetero e transexuais homo), o que define o transexual é que seu corpo é de um sexo, mas seu cérebro é de outro. São mulheres presas num corpo de homem, ou vice versa.

Imagine você um belo dia acordando, indo pro banheiro, e de repente seu sexo foi trocado! Você ainda é você, pensa como você pensa..
Por isso que as transexuais tem repulsa ao seu corpo. Simplesmente não é o corpo delas. Elas não se identificam com NADA ali. Tudo o que querem é mudar tudo.

Se uma pessoa procura ou anseia por uma operação de mudança de sexo, onde o pênis é totalmente removido, pode ter certeza: Trata-se de um transexual.

Já com os travestis, é um pouco diferente, mas num nível fundamental. Não se sabe ainda como, nem por quê, mas os travestis não tem uma identidade só, masculina ou feminina. Eles têm as duas. Eles se sentem homem e mulher, os dois conceitos se misturando dentro deles como ingredientes num liquidificador. Ora eles se sentem mais femininos, ora mais masculinos, mas ambas estão sempre presentes e eles não têm o desejo de anular nenhum dos dois lados. Infelizmente, seus corpos nascem com apenas um sexo – homens ou mulheres. O que eles fazem então? Adaptam o seu corpo para alcançar, o máximo possível, essa outra metade da essência deles que veio faltando.

Quem começa a pensar um pouco sobre isso, vai vendo o quanto é complicado definir orientação sexual quando falamos de transgêneros. Uma trans que curte mulher é o quê? Hetero? Afinal, ela nasceu homem… Mas sua identidade é feminina, então cabe mais dizer que ela é lésbica. E, portanto, as transexuais que namoram e casam com homens (como a mais famosa delas, Roberta Close), não são homossexuais, são hetero. Afinal, elas sempre foram garotas – só tinham um pequeno problema…

E os travestis? Com relação a travestis, essa definição de hetero e homossexual perde totalmente o sentido… O que podemos dizer é que existem travestis que gostam de homem, travestis que gostam de mulheres e os que gostam dos dois. Mas eles não se encaixam nessas definições de condição sexual existentes. O mesmo se diz das pessoas que gostam de travestis – elas não são hetero e não são gays, são simplesmente pessoas que gostam de travestis. E ponto. Até criou-se um nome para eles: T-lovers.

É, já dizia Hamlet, “existem muito mais coisas entre o céu e a terra do que sonha nossa vã filosofia…” esse papo de papel sexual pode dar um nó na cabeça de qualquer um..
 
  fonte e-jovem

About these ads

Sobre STOP HOMOFOBIA

promovendo a LUTA contra homofobia e à favor dos direitos GLBT

Publicado em 12 de janeiro de 2011, em Duvidas e GayHelp. Adicione o link aos favoritos. 12 Comentários.

  1. Boa tarde, o artigo tá falando que Gênero é biológico, e não é.
    Gênero são construções culturais que diferenciam a forma de homens e mulheres se comportarem.

  2. Nossa muito bom, esclareceu muito

  3. muito interessante essa matéria, principalmente para mim que estou trabalhando o meu artigo científico em cima do público GLSBTTT´s . Estava mesmo precisando de mais esclarecimentos relacionados ao travestis, transgeneros e transexuais.

  4. >Parabéns pela matéria. O assunto é muito mais profundo do que simplesmente aquela vã definição de que toda travesti é prostituta, ou de que o metrossexual é um gay, ou que homem que se veste de mulher é "viado". O mesmo acontece com o outro lado da moeda, onde o conceito de que o "homem normal", "macho", só porque usa roupas "de homem" é necessariamente heterossexual por exemplo. Tem que haver a consciência do "desvínculo" entre a orientação sexual, identidade, gênero, e até gosto pelo tipo de roupa a usar (caso dos "crossdressers").Vejo que, além do preconceito, o que existe é o total desconhecimento da maioria absoluta da população com relação aos termos e conceitos abordados aqui. Parabéns novamente pela abertura que essa matéria conseguiu dar.

  5. >Uau,Caroline,entendeu mesmo o assunto, ein?!muito obrigado!abraço do STOP

  6. >Adorei as definições, pois muita gente confunde,e acho que cada pessoa é única, tem uma essência única, e com esse texto podemos observar a diversidade que pode existir a partir de dois sexos, e se cada pessoa é única, eu não acho válido existir o preconceito.A essência da pessoa é o a faz ter sua orientação sexual, é como um instinto, você não escolhe quem você quer amar, simplesmente, ama. E o que é engraçado, é que no meio de tantos pedófilos, estupradores, políticos e policiais corruptos exista a raiva, mas não o preconceito.Eu me chamo Carol tenho gênero feminino, papel feminino, orientação heterosexual e uma identidade também feminina (viu como eu aprendi rs) mas tenho muitos amigos e parentes homossexuais e sou totalmente a favor da homossexualidade e totalmente contra a homofobia.STOP, parabéns pelas matérias! Um abraço!

  7. >olá Giovani, olá Dih,desculpe-nos pelo erro gravissimoA imagem já foi trocada, como eu não conhecia a miss, consegui a foto com a legenda "transexual" de um site supostamente confiável.mas muito obrigado pela informação!Abraço do STOP.

  8. >Natalia Anderle não é traveco. Ela é mulher ate demais, ao ponto de nao ligar para o que as pessoas acham dela. Mulher mais bonita do Brasil no ano de 2008 e umas das mais belas do universo no mesmo ano. Anderle incomoda a ralé ate hoje.

  9. >A MULHER da foto não é uma transexual!Ela é a MISS BRASIL 2008, eleita pelo Rio Grande do Sul, portanto MULHER. Nasceu MULHER. E não tornou-se. Sugiro que antes de expor a imagem de outra pesquisem melhor. É o mínimo que se espera, para que se leve a sério o trabalho dos criadores do blog.

  10. >Pela liberdade de expressão, respeito, solidariedade, felicidade. Pelo SER HUMANO TOTAL!!!

  11. >Olá Natasha,parabens pela comunidade! se todos os jovens fossem mais interessados por uma causa tão justa como a LGBT o preconceito seria minimo;O que o STOP tenta fazer é informar, sempre que possivel sobre esse outro tipo de sexualidade.comentarios muito interessantes os seus. obg =D

  12. >Adorei você ter especificado esse assunto, que a grande maioria das pessoas ainda não está cientes disso. Muito bom e muito bem claro!Achei esse blog por uma postagem na minha comunidade chamada Homofobia é crime, falo??, e adorei. Precisamos de mais informações assim na internet e assim vamos fazer com que as pessoas reflitam um pouco mais sobre esse debate tão discutível em todo o nosso mundo. O preconceito esta aí, se aqueles que fazem parte deste mundo GLBT for cada vez mais severo os preconceituosos vão se tocar cada vez mais."A minha liberdade vai até onde a liberdade do outro está."

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: